A cobertura jornalística do Islamismo – narrativas marginalizadas e moralizantes

Ingrid Gomes

Resumo


Este artigo realiza uma abordagem da representação do Islamismo produzida pela cobertura jornalística atual. Como objeto de análise, o estudo aborda as representações discursivas (Análise de Discurso) e as interconexões com (e do) Islã na Folha de S.Paulo e no Estado de S.Paulo, tendo por corpus o material publicado pelos jornais, na Editoria Internacional, nos 15 dias anteriores e posteriores à data que marcou, historicamente, os 10 anos do ataque às Torres Gêmeas. O artigo também faz um breve inventário histórico-cultural da formação do Islã, da construção do Diferente na história e do Outro-Islã. Observou-se, nas generalizações e nas simplificações das representações do Islã da mídia analisada, um retrato aproximado das ações dos fundamentalistas islâmicos, instruindo o contexto complexo do Islã como o Outro, o Diferente da história atual, denegando a ele suas atribuições culturais de autenticidade e de alteridade.


Palavras-chave


. Representações. Análise de Discurso. Folha de S.Paulo. Estado de S.Paulo.



DOI: http://dx.doi.org/10.1590/rbcc.v37i1.1882